Mais do mesmo ou algo diferente? E outros dilemas sobre Marina Silva...

Postado por guZZ

Aos que defendem a candidatura de Marina Silva eu gostaria de colocar algumas questões. Eu não sou contra, mas antes de ser a favor gostaria de ter certeza sobre alguns pontos.

O primeiro e o mais central deles é com relação à legenda do PV. Nos últimos anos o PV tem se aliado com PSDB-PFL. Como se comportará a legenda nestas eleições e que controle a Marina terá sobre a legenda?

A questão é se a Marina será mais do mesmo ou algo diferente, será que ela tem peito para ser algo diferente?

Por exemplo, vamos supor que ela saia e não passe para o segundo turno, ela dará seu apoio a alguém?
A quem? Serra ou Dilma?

E se ela passar para o segundo turno, com quem se aliará?

E se ela vencer, que partidos irão compor sua base?

Ela escolheu a via institucional logo não faz sentido adotar um radicalismo que lhe deixe à margem do jogo político. Mas, ao mesmo tempo, se fizer as escolhas tradicionais deste tal “jogo” sua candidatura se tornará altamente incoerente. Por exemplo, se ela der ou aceitar apoio do PSDB-PFL se tornará incoerente com relação a sua história política e com relação a sua principal bandeira, o Meio Ambiente e as questões sociais na Amazônia. Por outro lado, se ela aceitasse apoio ou apoiasse o PT também seria incoerente já que teve que deixar o partido para buscar o espaço que queria.

A candidatura para a presidência da república poderia “matar” a figura da Marina Silva como nós conhecemos e transformá-la em “mais do mesmo”, isto é, alguém que se alia ao seu pior inimigo para chegar ao poder. Este é o dilema mais difícil de resolver e é central para que eu possa ser favorável ou não a sua candidatura.

Outra questão que tenho com relação a canditadura dela é a sua religiosidade.

Ela é evangélica muito devota e segue a igreja "Assembléia de Deus". Nada contra a religião em si, mas o Estado laico precisa de governantes que tomem “decisões laicas”. Se ela tiver a oportunidade de legalizar o casamento entre homossexuais ou legalizar o aborto, o que motivará sua decisão? Dados e análises, a doutrina jurídica ou a religião?

Isto pode parecer absurdo, mas não esta tão longe de nossa realidade. É só lembrarmos que em 1996 a Heloísa Helena processou a Kátia Bonn do PSB por “conduta sexual atípica” durante a disputa eleitoral das duas pela prefeitura de Alagoas (Kátia Bonn é lésbica assumida). Claro que a Marina está anos luz de distância da Heloísa Helena, mas mesmo assim eu gostaria de ver estes pontos esclarecidos em seu programa.

O último grande questionamento é com relação ao seu programa de governo. Todos nós sabemos qual é sua posição com relação à Amazônia e outras questões ambientais, mas um programa de governo não pode se resumir a isso. Ela seria (ou será) presidente de todo o país, não só da Amazônia, e precisa de uma plataforma consistente com relação a todos os temas, não apenas com relação ao Meio Ambiente.

1 comentários:

Renato disse...

Gostei do post.
Até hj minha reflexão sobre o tema ficava só por conta do último paragrafo. Vale a reflexão...